Brasileiro tem o “pavio curto” em relação à aplicativos ruins

Usuários brasileiros estão cada vez mais exigentes e com isso perdem a paciência com aplicativos ruins em 3 segundos

44% dos brasileiros gastam 3 segundos para perderem a paciência ao utilizarem um aplicativo no celular ou tablet. Segundo pesquisa realizada pela CA Technologies, o serviço que não oferecer resposta satisfatória nesse tempo ao consumidor corre sério risco de perdê-lo para sempre. Isso porque até 14% dos respondentes cogitam nunca mais voltar a utilizar um app que não tenha proporcionado uma boa experiência.

O grau de tolerância do brasileiro corresponde à metade da média global, que gira em torno de 6 segundos. Considerado o cenário atual da economia dos aplicativos, no qual as pessoas estão cada vez mais conectadas e querem fazer tudo que podem por meio de apps, desempenho é um fator crucial.

Estudos realizados por uma provedora ouviu 6,8 mil consumidores e 809 executivos em 18 países, afim de identificar como cada um desses dois grupos se comporta diante de aplicativos. Os usuários apontaram três itens que impactam em sua experiência com aplicativos.

A AJUDA DOS APPS NO DIA A DIA DAS EMPRESAS

O primeiro tema toca a velocidade de carregamento do sistema. Na média global, 68% dos consumidores disseram que um tempo de carregamento de até 6 segundos é aceitável. Metade deles considera o tempo ideal entre 1 e 3 segundos. “No Brasil, a maior parte dos respondentes está nesse último grupo, com paciência quase zero”, indica a provedora.

Funcionalidade é outro ponto valorizado. De acordo com a pesquisa, 40% dos consumidores brasileiros consideram a possibilidade de executar tarefas com facilidade como muito importante para usar ou comprar um aplicativo e 48% indicaram a importância de o app ter características fáceis de usar.

E por último vieram os recursos de segurança.  “Dentre os consumidores ouvidos que tiveram más experiência com aplicativos, 10% disseram que abandonariam uma marca para sempre se enfrentasse problemas relacionados à segurança. No Brasil, esse índice é de 8%”, revela a pesquisa.

O estudo revela ainda que há uma lacuna entre a percepção da indústria e dos consumidores em relação ao quão bem as empresas vêm atendendo às expectativas dos usuários. Há uma diferença de 15% entre as duas avaliações no setor Financeiro e de 14% nas áreas de Tecnologia e Governamental, no âmbito mundial.

O levantamento reforça que os aplicativos tornaram-se um ponto de encontro crucial entre consumidores e organizações. Segundo a pesquisa, 49% das pessoas usam apps para fazer operações bancárias (45% no Brasil) e 48%, para compras (44% no Brasil). No País, a atividade mais executada por meio de aplicativos é a troca de mensagens (83%) e o acesso ao e-mail pessoal (82%).

Esse levantamento comprova´e só confirma que nós brasileiros estamos cada vez mais exigentes e menos tolerantes a demoras, erros ou falhas provenientes de aplicativos de smartphones e/ou tablets.

Adicionar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *